O Projecto
A VIA NOVA - História
Construção e manutenção da VIA NOVA
O Cursus Publicus
Viajar na Geira
Paisagem
Conquista do Noroeste Peninsular
Organização do Território e Implantação da Rede Viária
Consolidação da Romanização e a abertura da VIA NOVA
A VIA NOVA no Alto Império
A VIA NOVA no Baixo Império
Viajantes
A VIA NOVA no Baixo Império

No reinado de Diocleciano (284-305), no âmbito da reorganização administrativa do Império, entre 284 e 288, a cidade de Bracara Augusta é elevada a um novo estatuto, passando a sede da proví­ncia da Callaecia. Esta nova unidade administrativa abrangia um vasto território: os três conventus de Bracara, Lucus e Asturica e a parte ocidental do de Clunia, alcançando Numancia e Iuliobriga, na Cantábria. No reinado de Constantino I (306-337) o poder da urbe é reforçado, quando o Cristianismo passa a ser a nova religião oficial do Império.

Os acessos a Bracara, bem como a rede viária do Noroeste, são devidamente cuidados. Em redor da capital da Callaecia concentram-se mais de metade do total dos marcos identificados em toda a Hispania, datados do Baixo-Império. Esta circunstância está documentada através de numerosos miliários com inscrições de todos os imperadores da Tetrarquia, da Casa de Constantino, de Juliano e seus sucessores, bem como dos usurpadores Magnêncio e Decêncio.

Moeda de Constantino I (307-337 d.C) (anverso).
1/23