O Projecto
A VIA NOVA - História
Construção e manutenção da VIA NOVA
O Cursus Publicus
Viajar na Geira
Paisagem
A Circulação na Via
Mansiones
Mutationes
Milhas
Miliários
 
SALANIANA
AQUIS ORIGINIS
AQUIS QUERQUENNIS
Salaniana

Das mansiones citadas no Itinerário de Antonino, no âmbito da Via XVIII, apenas uma, a Salaniana, fica em território português. No traçado da via, o sí­tio arqueológico cujas caracterí­sticas mais se aproximam da referida mansio, será o povoado romano de Vilar, ou Saim Velho, tendo em conta a dispersão dos vestí­gios e a sua proximidade em relação ao caminho.

Contudo, este povoado não se localiza na milha indicada pelo Itinerário - milha XXI, mas sim na milha XVIII. Ou seja, a uma significativa distância da milha XXI. Normalmente, os investigadores, para resolverem estas discrepâncias, insinuam eventuais erros nas sucessivas versões do Itinerário.

Por ora, consideramos, até prova em contrário, que este sí­tio terá sido a mansio Salaniana e adoptamos a hipótese de um erro inicial no Itinerário que se repetiu nas sucessivas versões. Além desta mansio, admitimos a hipótese de terem existido outras duas, não mencionadas no Itinerário: a Cividade de Biscaia, cerca da milha X, no vale do Cávado; e o Adro Velho, ou Sagrado, de S. João do Campo, situado entre as milhas XXVII e XXVIII, numa fértil veiga, nos contrafortes oeste da Serra do Gerês. São dois arqueossí­tios com uma ampla área de dispersão de materiais e que ficam ambos a meio caminho das localidades citadas no Itinerário. A Cividade de Biscaia (Caires - Amares), a 8/9 milhas da mansio Salatiana e a 10 de Bracara Augusta. O Adro Velho, ou Campo Santo, a 10 milhas a norte da Salaniana e a 11 de Aquis Originis.

O traçado da VIA NOVA na zona da milha XVIII; observando-se em primeiro plano, o local onde foi implantada a mansio Salaniana.
1/4