Construção em Betão no Egipto

Translate

Ampliar em nova janela

Ampliar em nova janela

Ampliar em nova janela

Serão as Pirâmides de Gizé construídas em betão?

Qualquer cronologia da evolução do betão coloca a sua invenção durante a civilização romana. A prova mais relevante, o Panteão de Roma, é visitada diariamente por centenas de turistas. Ver o trabalho de David Moore sobre este edifício.

Será que foram os egípcios, os primeiros a utilizar esta tecnologia? Esta tese, colocada pelo egiptologista Joseph Davidovits, a ser demonstrada cabalmente, poderia responder a algumas das questões sobre a construção do monumento mais significativo da humanidade - as Pirâmides.

Vejamos como é colocado este problema actualmente. A teoria de que as pirâmides foram construídas com grandes blocos de pedra coloca algumas dúvidas:

  • Como transportaram esses blocos da pedreira para o local de construção?
  • Como foi possível talhar as pedras com tal nível de precisão?
  • Como elevar os blocos para se integrarem no edifício?

    A análise comparativa entre alguns dos edifícios mais emblemáticos jamais construidos pelo homem evidenciam a gritante diferença na duração da sua construção entre a antiguidade e épocas posteriores, e mesmo admitindo algum exagero no relato de Heródoto ao apontar um período de 20 anos para a construção da Grande Pirâmide, é surpreendente como foi possível colocar de pé um monumento de tais proporções num período tão curto; também os edifícios romanos mostram grande celeridade na sua construção, com uns meros 7 anos para o Panteão de Roma e apenas 5 anos para a catedral de Santa sofia em Istambul; nada que ver com as centenas de anos das grandes catedrais medievais e mesmo com as dezenas de anos das construções modernas. Certamente que a utilização do betão ajudava a encurtar estes prazos.

    Comparação do tempo de construção entre várias edifícios importantes em betão e pedra
    MonumentoAlturaData Construído emMaterial
    Grande Pirâmide146,5 m2560 ~ 2540 AC20 anos 1betão ?
    Panteão em Roma43,30 m118 ~ 125 DC7 anos 2betão
    Santa Sofia em Istambul32,60 m532 ~ 537 DC5 anos 3betão
    Catedral de Florença54 m1296 ~ 1436 DC>120 anos 4pedra/tijolo
    Catedral de Sevilha42 m1401 ~ 1528 DC>120 anos 5pedra
    São Pedro em Roma136,57 m1506 ~ 1626 DC>120 anos 6pedra
    São Paulo em Londres30,80 m1675 ~1710 DC35 anos 7pedra
    Panteão de Paris21 m1758 ~ 1790 DC32 anos 8pedra

    1 O maior edifício jamais construído!
    2 Ainda detém o título de maior cúpula em betão não armado do mundo, com 43,4 m!
    3 A maior catedral no mundo por mais de 1000 anos até à construção da Catedral de Sevilha em 1528; cúpula com 56 m!
    4 Ainda a maior cúpula do mundo em tijolo com 45,52 m.
    5 Na cúpula, com 42 m de diâmetro, foram utilizados aglomerados (?), imitando o Panteão.
    6 O maior templo do mundo até à construção de São Pedro no Vaticano e São Paulo em Londres.
    7 O edifício mais alto de Londres entre 1710 e 1962.
    8 Mais 12 anos que o Panteão de Roma!







    Porque é importante?

    Este assunto assume a maior importância para o estudo da longevidade do betão. Sendo o betão uma descoberta relativamente recente (ou melhor, redescoberta) não existem ainda dados suficientes para formular uma teoria consistente da sua durabilidade. As estimativas actuais indicam períodos de vida na ordem da centena de anos sem intervenção. Significa isto que todas as estruturas em betão que conhecemos irão desaparecer após esse período. Analisando a construção em betão da antiguidade poderá ser possível determinar quais os métodos a utilizar para uma maior durabilidade das obras actuais.

    Pelo menos um facto é indesmentível: O Panteão de Roma e as Pirâmides de Gizé contiuam a desafiar o tempo!

    Joseph Davidovits apresenta a sua teoria

  • Anterior | Home | Próximo

    Email : psoutinho@gmx.net
    © Copyright Pedro Soutinho, 1997-2004