O Projecto
A VIA NOVA - História
Construção e manutenção da VIA NOVA
O Cursus Publicus
Viajar na Geira
Paisagem
A Circulação na Via
Mansiones
Mutationes
Milhas
Miliários
Os Meios de Transporte
Os Tempos de Circulação
Descrições Antigas
Os Tempos de Circulação

A velocidade a que se viajava dependia de inúmeros factores. Horácio, caminhando sem pressas, levou 13 dias a fazer o percurso entre Roma e Brindes, o mesmo que Catão efectuou em apenas 5 dias. í‰ difí­cil, todavia, indicar um cálculo exacto, tanto mais que grande parte das referências antigas ao espaço percorrido em determinado tempo não explicitam qual o meio de transporte utilizado.

Um exército em marcha, segundo Vegécio, percorria num dia 10 milhas (justum iter) ou 20 milhas (magnum iter), com um dia de paragem em cada quatro (iterintermittere), o que equivale respectivamente a 15 e 30 quilómetros.

A pé, o viajante poderia percorrer entre 30 a 40 quilómetros, distância que representava já um esforço muito apreciável.

A velocidade do Cursus Publicus, ou seja do serviço oficial, segundo Raymond Chevallier, andava à volta das 50 milhas, o que equivale a dizer que os bons correios percorriam, por dia, cerca de 75 quilómetros. No entanto, exemplos concretos indicam que esse valor era muito variável. Cí­cero recebe na Capadócia uma carta de Roma em 50 dias. Quando escreve ao seu filho, estudante em Atenas, algumas cartas demoravam 3 meses. A notí­cia da morte de Nero demorou 6 dias de Roma até chegar à Hispania, ou seja um trajecto terrestre de 332 milhas (498 quilómetros) demorou menos de 36 horas a ser percorrido. A notí­cia da morte de GaiusCaesar, na Lycia, chegou a Roma em 36 dias. A distância entre estes dois pontos é de 4 dias.

As diferentes velocidades, decorrentes de múltiplos factores, desde o clima à s vontades individuais, explicam o elevado número de mansiones e mutationes, superior ao que seria necessário para o funcionamento do Cursus Publicus.

1/1