O Projecto
A VIA NOVA - História
Construção e manutenção da VIA NOVA
O Cursus Publicus
Viajar na Geira
Paisagem
O Traçado
A Pavimentação
As Obras de Arte
As Pedreiras
Sistema de Drenagem
A Manutenção
A Manutenção

Um dos principais desafios, de todos os poderes, é o da manutenção das obras públicas de interesse geral, como são as estradas. A VIA NOVA entre Bracara e Asturica, eixo de primeira importância sobre o ponto de vista administrativo, foi construí­da e conservada pelas finanças imperiais, entidade também responsável pelo policiamento e pela eficácia do Cursus Publicus, a rede de albergues, estações de muda, postos de fiscalização e portagens. Tal facto explica a referência nos miliários ao governador C. Calpetanus Rantius Quirinalis Valerius Festus, no ano 80 d.C., a propósito da construção da VIA NOVA. A preocupação em manter em bom estado todos os caminhos ficou gravada nos marcos dos imperadores Máximo e Maximiano (235-238), cujo texto é, por si mesmo elucidativo:

"O imperador César Gaio Júlio Vero Maximino, Pio, Feliz, Augusto, Germânico Máximo, Dácico Máximo, Sarmático Máximo, pontí­fice máximo, no seu quinto poder tribuní­cio, sete vezes imperador, propertor, cí´nsul, procí´nsul e Gaio Júlio o Máximo, mui nobre César, Germânico Máximo, Dácico Máximo, Sarmático Máximo, Prí­ncipe da Juventude, filho do nosso senhor imperador Gaio Júlio Vero Maximino, Pio Feliz, Augusto, restauraram as estradas e as pontes arruinadas pelo tempo, sob o controlo de Quinto Décio Valeriano, legado de Augusto, propretor. Desde Bracara Augusta ..."

Pormenor da inscrição do marco da milha XXIV dedicado a Maximino e Máximo.
1/2